Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Sexta-feira, 28 de novembro de 2014
   
 
13.293.857 acessos desde Março de 2002

 
   
 
Doenças
AIDS
AMEBÍASE
ANCILOSTOMÍASE
ASCARIDÍASE
BOTULISMO
BRUCELOSE
CANCRO MOLE
CANDIDÍASE
COCCIDIOIDOMICOSE
COQUELUCHE
CRIPTOCOCOSE
CRIPTOSPORIDÍASE
CÓLERA
DENGUE
DIFTERIA
DOENÇA DE CHAGAS
DOENÇA DE LYME
DOENÇA MENINGOCÓCICA
DOENÇAS DIARRÉICAS AGUDAS
DONOVANOSE
ENTEROBÍASE
ESCABIOSE
ESQUISTOSSOMOSE
ESTRONGILOIDÍASE
FEBRE AMARELA
FEBRE MACULOSA BRASILEIRA
FEBRE PURPÚRICA BRASILEIRA(FPB
FEBRE TIFÓIDE
FEBRES HEMORRÁGICAS PELO VÍRUS EBOLA
FILARÍASE POR WUCHERERIA BANCROFTI
GIARDÍASE
GONORRÉIA
HANSENÍASE
HANTAVIROSES
HEPATITE A
HEPATITE B
HEPATITE C
HEPATITE D
HEPATITE E
HERPES SIMPLES
HISTOPLASMOSE
INFECÇÃO PELO PAPILOMAVÍRUS HUMANO (HPV)
LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA (LTA)
LEISHMANIOSE VISCERAL
LEPTOSPIROSE
LINFOGRANULOMA VENÉREO
MALÁRIA
MENINGITE POR HAEMOPHILUS INFLUENZAE
MENINGITE TUBERCULOSA
MENINGITES VIRAIS
MONONUCLEOSE INFECCIOSA
ONCOCERCOSE
PARACOCCIDIOIDOMICOSE
PAROTIDITE INFECCIOSA
PESTE
POLIOMIELITE
PSITACOSE
RAIVA
RUBÉOLA
SARAMPO
SHIGELOSE
SÍFILIS / SÍFILIS CONGÊNITA
SÍNDROME DA RUBÉOLA CONGÊNITA
TENÍASE / CISTICERCOSE
TOXOPLASMOSE
TRACOMA
TUBERCULOSE
TÉTANO ACIDENTAL
TÉTANO NEONATAL
VARICELA / HERPES ZOSTER
 
Informações sobre GONORRÉIA Tire suas dúvidas
  • Aspectos Clínicos  e  Epidemiológicos
    Descrição - A gonorréia é uma doença infecciosa do trato urogenital, detransmissão por via sexual, que pode determinar desde infecção assintomática atédoença manifesta, com alta morbidade. Após contato sexual suspeito e vencidasas barreiras naturais da mucosa, ocorrerá a evolução para a doença. Instaura-seum processo localizado que poderá desenvolver complicações no próprio aparelhourogenital ou à distância, provocando alterações sistêmicas. Clinicamente, agonorréia apresenta-se de forma completamente diferente no homem e na mulher.Há uma proporção maior de casos em homens, sendo que, em 70% dos casosfemininos, a gonorréia é assintomática. Gonorréia no homem: não complicada érepresentada por um processo inflamatório da uretra anterior. Inicia com um pruridodiscreto junto ao meato urinário e fossa navicular, com o desenvolvimento de umeritema localizado; logo após, surge um corrimento inicial claro que,gradativamente, torna-se purulento. O corrimento é acompanhado de ardor eurgência miccional. Gonorréia na mulher: o quadro é oligossintomático,caracterizado por um corrimento escasso, leitoso, muitas vezes não percebido pelapaciente, chegando a mais de 70% o número de portadoras assintomáticas. Ocanal endocervical é o local prioritário da infecção gonocócica. A presença dediplococos intra e extracelulares sela o diagnóstico, mas, nas mulheres, é necessárioo cultivo em meios especiais, como o Thayer-Martin modificado. Os sintomaspodem se confundir com as infecções do trato genital inferior e se caracterizampelo aumento da freqüência urinária, disúria e secreção vaginal mucóide oufrancamente purulenta. O colo apresenta-se edemaciado, com ectopia acentuada.O corrimento torna-se irritativo, podendo levar ao edema de grandes e pequenoslábios e, conseqüentemente, dispareunia. Os recém-nascidos de mães doentes ouportadoras podem apresentar conjuntivite gonocócica por contaminação no canalde parto.Sinonímia - Blenorragia, blenorréia, esquentamento, pingadeira, fogagem, gotamatutina, gono, uretrite gonocócica.Agente etiológico - Neisseria gonorrhoeae, diplococo gram negativo.Reservatório - O homem.Modo de transmissão - Contato sexual.Período de incubação - Geralmente, entre 2 e 5 dias.Período de transmissibilidade - Pode durar de meses a anos, se o pacientenão for tratado. O tratamento eficaz rapidamente interrompe a transmissão.Complicações - No homem, dependendo da extensão da infecção às glândulasanexas, poderão ocorrer complicações, como balanopostite, colpite, prostatite,epididimite e orquite. A orqui-epididimite poderá provocar a diminuição dafertilidade, levando até a esterilidade. Poderá também evoluir para quadrossistêmicos, caracterizando a gonococcemia com todas as suas manifestações,como a artrite gonocócica, a síndrome de Fitz-Hugh-Curtis (peri-hepatite gonocócica) e complicações cardíacas e nervosas. Na mulher, quando a gonorréianão é tratada, a infecção ascendente de trompas e ovários pode caracterizar achamada doença inflamatória pélvica (DIP), que é a mais importante complicaçãoda infecção gonocócica na mulher. A DIP pode estar relacionada com endometrite,salpingite, peritonite. Alterações tubárias podem ocorrer como complicação dessainfecção, levando 10% dos casos à oclusão tubária e à infertilidade. Naqueles emque não há obstrução, o risco é o desenvolvimento de gravidez ectópica. Gonorréiadisseminada: cerca de 2% dos pacientes não tratados vão evoluir com disseminaçãoda infecção, manifestando artralgia, mialgia, artrite simétrica e lesõesdermatológicas características. Inicialmente, ocorrem vasculites sépticas queprogridem para pústulas necróticas, com preferência pelas extremidades. A febre ébaixa e a alteração mais freqüente é a poliartrite; em alguns casos pode ocorrertenossinovite dolorosa de extremidades. Ocasionalmente, a gonorréia provocacomplicações, como endocardite e meningite.Diagnóstico - É clínico, epidemiológico e laboratorial. Esse último é feito atravésdo isolamento do agente, ou pela coloração com gram ou pelos métodos decultivo. No exame bacterioscópio dos esfregaços, devem ser observados cocosgram negativos, arranjados aos pares. A cultura também é útil.Diagnóstico diferencial - Uretrite não gonocócica por Chlamydia, ureaplasma,tricomoníase, infecção do trato urinário, vaginose por Gardnerella, artrite sépticabacteriana.Tratamento - Deve ser utilizada uma das opções a seguir: ofloxacina, 400mg,VO, dose única; penicilina G procaína, 4.800.000UI, IM + 1g de probenecid,VO; ampicilina, 3,5g, VO +1,0g de probenecid VO; tetraciclina, 500mg, VO, 6/6 horas, por 7 dias; doxiciclina, 100mg, VO, 12 em 12 horas, por 7 dias; tianfenicolgranulado, 2,5g, VO; ciprofloxacina, 500mg, VO; ceftriaxona, 250mg, IM;cefotaxima, 1g, IM; espectinomicina, 2mg, IM. Deve-se estar atento ao aumentogradual da resistência da Neisseria gonorrhea às penicilinas. No Brasil, são escassosos estudos realizados sobre esse aspecto. No mundo, há evidências de altos índicesde resistência desse agente à antibioticoterapia convencional.Características epidemiológicas - Doença de distribuição universal, queafeta ambos os sexos, principalmente adultos jovens sexualmente ativos.

  • Vigilância  Epidemiológica
    Objetivos - Interromper a cadeia de transmissão através de detecção e tratamentoprecoces dos casos e dos seus parceiros (fontes de infecção); prevenir novasocorrências por meio de ações de educação em saúde.Notificação - Não é doença de notificação compulsória nacional. Os profissionaisde saúde devem observar as normas e procedimentos de notificação e investigaçãode estados e municípios. A Coordenação Nacional de DST e AIDS, do Ministérioda Saúde, está implantando um sistema de fontes de informações específicas paraas DST, visando o aprimoramento de seu controle.Medidas de controle - Ver capítulo de Linfogranuloma Venéreo.

 
     
     
 
  contato@portaldeginecologia.com.br  
 
 
Quem somos
Política de Privacidade
O Profissional
Publicações Informações
Doenças
Perguntas frequentes
CID10 Download
Ferramentas
Ciclo Menstrual
Gestação
Gravidez Programada
Cálculo de IMC (peso)
Multimídia
Galeria de Imagens
Galeria de Vídeos
Contato


 
  Desenvolvido por SS Digital
Resolução mínima recomendada: 1024x768 pixels
O conteúdo deste Portal é para informações, somente seu médico é quem pode prescrever ou decidir condutas médicas.